Austrália, país que valoriza o ser e não o ter

Fui para a Austrália em 2006 e fiquei por lá por três anos estudando e trabalhando para uma empresa de consultoria local. Estive nas cidades de Brisbane e Sydney. Sem dúvida, uma experiência e tanto, pois é uma cultura muito diferente da nossa! Mas existe mercado para quem quer negociar com os australianos ou abrir uma empresa lá. Antes é preciso conhecer um pouco mais da sua cultura.

A economia da Austrália é considerada estável. O país é rico em minerais, tem a agricultura e o turismo fortes. E a indústria cresce ano a ano, inclusive pelo fato de que o país passou a sediar filiais regionais das grandes multinacionais, para da Austrália invadir os mercados da Ásia e Oceania. Os australianos costumam ser pragmáticos e orientados para resultados. Nos negócios, devem ser apresentadas propostas claras, com termos aceitáveis e que enfatizem os pontos positivos e negativos do produto.

Austrália - comércio - exportação - negócios
Nas negociações, o ideal é agendar os encontros com um mês de antecedência. Os melhores meses para negócios são entre março e novembro.

Austrália: grande mercado exportador

A Austrália é a maior exportadora mundial de diamantes, alumínio e de carvão. Além disso, exporta os seguintes minérios: ouro, chumbo, minério de ferro, níquel, bauxita, cobre, zinco, gás natural, manganês, areias minerais e petróleo bruto. A produção agrícola do país é diversificada, sendo os produtos mais exportados o açúcar, o trigo, o algodão, a cevada e a uva, entre outras
frutas.

O país está aberto para negócios e razões é que não faltam para querer abrir ou adquirir uma empresa no “país dos cangurus”. Com a maior parte da economia baseada em serviços e com um dos ambientes de negócios mais transparentes e prósperos, a Austrália é uma boa oportunidade para quem atua como empresário, franqueador, franqueado ou ainda profissional liberal.

Austrália - comércio - exportação - negócios
Em tempos de crise no Brasil, a abertura australiana para negócios empreendedores é uma oportunidade evidente. E que se torna ainda mais vantajosa quando levamos em conta a solidez da economia australiana,

Austrália: como é o empresário de lá?

A criação de gado para corte e de ovinos é relevante para a economia, inclusive em relação à produção de lã, da qual a Austrália é a maior produtora do mundo. A indústria australiana é diversificada, produz alimentos, papel, máquinas/equipamentos, entre vários outros produtos. O destaque nas exportações do país têm sido os produtos com tecnologia de ponta. As exportações da Austrália são, em sua maior parte, para  países da Ásia. A moeda oficial da Austrália é o dólar australiano.

Atualmente, a cultura australiana carrega influências de diversos povos. Entretanto, as especificidades desse país tão distante do Brasil ainda são ressaltadas nos esportes, na alimentação, na fauna, na flora e na música. É claro que as diferenças com o Brasil são inúmeras, mas há quem diga que o australiano consegue ser tão receptivo com estrangeiros quanto o brasileiro.

Empresário australiano é competitivo

Austrália - comércio - exportação - negócios
A abertura de uma nova empresa é feita diretamente pela internet. Imediatamente, o empreendedor já recebe seu registro empresarial (equivalente ao CNPJ no Brasil). O modelo fiscal do país também é simplificado – sem divergências de impostos entre Estados.

O empresário australiano é notório pela competitividade e por recorrer a fatores de proteção aos seus negócios. Em cada setor onde houver alguém se destacando e ainda existir espaço para mais um, ele poderá entrar para dividir, copiar, tentar realizar melhor. Ou, até mesmo, derrubar você.

Os sindicatos, a união de classes e a defesa do consumidor regulam intensamente a atividade empresarial, fazendo com que todos estejam ligados a seus deveres e obrigações. O mercado é livre, mas sofre um número absurdo de restrições econômico/financeiras de prefeituras e
governos estaduais e federal.

Austrália - negócios - empreendedor
Enquanto no Brasil são necessários mais de cem dias para criar uma empresa, na Austrália bastam algumas horas na internet. É só realizar os registros online da companhia e se cadastrar no órgão australiano responsável por emitir taxas e impostos.

País preocupado com qualidade de vida

A economia da Austrália é de mercado altamente desenvolvido, sendo atualmente a 13ª maior do mundo por Produto Interno Bruto (PIB) nominal, bem como a 17ª maior do mundo se considerarmos seu poder de compra. O setor industrial, que corresponde por cerca de 25% do PIB australiano, tem boa parte de sua escala voltada para o setor primário, com a larga produção de alimentos, vinhos, tabaco e a exploração mineral, bem como as atividades que exigem maior tecnologia, como a indústria de máquinas e equipamentos, a indústria química, metalúrgica, siderúrgica e petroquímica.

Uma dica valiosa para quem pensa em negociar com os australianos. Austrália é um país que valoriza o “ser” e não o “ter”. Ninguém irá fazer negócio com você porque na sua garagem tem um carro zero de luxo (financiado em 60x) ou por usar um celular de última geração ou um terno de marca. Tudo isso é bobagem!

Os australianos irão sim fazer negócio com você e lhe respeitar, lhe
aceitando na sociedade, pela sua competência profissional e pessoal. Ou seja, pelas suas realizações.  Eles focam muito a qualidade de vida. Trata-se de uma cultura totalmente diferente. A leitura é feita de uma outra forma. E caso você não se atente, irá perder uma grande oportunidade profissional.

Até a próxima!



Quem é Francisco Freitas

Francisco Freitas, 50 anos, é consultor internacional com 25 anos de experiência. Assessora empresários nacionais e internacionais a expandirem seus negócios. Além disso, oferece serviços de administração e gestão, assessoria jurídica internacional e estratégias de comunicação e marketing. Ex-consultor do Sebrae-SP.  É natural de Bauru e atualmente mora em Campinas, onde atua como Diretor Executivo para Negócios Internacionais na SociBusiness Internation Corp. Toda semana está no Inaugurando em Bauru falando sobre o mundo dos negócios.