Comércio exterior: como fazer negócio em Angola

Já comentei aqui, diversas vezes, que comércio exterior não é um sonho impossível, desde que haja processos e informações sólidas durante o percurso. Nesta semana, quero reforçar com vocês que uma porta promissora se abriu na Angola, país em fase de reconstrução depois de anos de guerra civil. Recentemente também abordei neste espaço sobre a parceria da minha empresa, a Socibusiness, com a Câmara de Comércio Brasil Angola. Veja todos os detalhes aqui.

Essa parceria permite que os empreendedores e empresários encontrem um percurso mais estruturado para alcançar o mercado de Angola. No entanto, relembro o que meu parceiro Eduardo Lafer, especialista em comércio exterior, disse quando esteve em Bauru. “Mercado externo é uma riqueza incalculável, que movimenta trilhões de dólares. Mas não deveria ser tratado de maneira oportunista, um estepe nos momentos de crise. É um recurso estratégico à disposição dos empresários. Não é algo impossível. Mas os interessados devem estar comprometidos com o projeto para que tudo caminhe bem e se transforme em uma fonte importante de renda dos negócios”. Confira aqui a entrevista completa deste grande profissional.

Comércio exterior - angola - exportação

Comércio exterior em Angola

Se você pensa em alcançar voos profissionais mais altos para Angola a partir do próximo ano, vou ajudar apontando áreas para onde empresas brasileiras estão exportando. São elas: carnes em geral, açúcar, mobiliário, máquinas mecânicas e elétricas, obras de ferro e aço, alimentos industrializados, cereais e serviços. Ou seja, um amplo campo a ser explorado. Aliás, o governo angolano, devido aos baixos preços do petróleo e o fato do PIB angolano depender da venda desse produto em 75%, quer acelerar o processo de diversificação da economia. Além disso, enfatizar o estímulo  ao investimento estrangeiro. 

Como 90% de tudo em Angola é importado, há enormes oportunidades para os empresários que se instalarem naquele país. Entre elas, uma decisão do governo em aumentar os impostos de produtos importados que tenham similar nacional. Portanto, se você tem interesse em saber mais sobre esse tipo de negócio, entre em contato. Comércio exterior não é um bicho de sete cabeças. Até a próxima!

Comércio exterior - angola - exportação

Quem é Francisco Freitas

Francisco Freitas, 50 anos, é consultor internacional com 25 anos de experiência. Assessora empresários nacionais e internacionais a expandirem seus negócios. Além disso, oferece serviços de administração e gestão, assessoria jurídica internacional e estratégias de comunicação e marketing. Ex-consultor do Sebrae-SP.  Aliás, é natural de Bauru e atualmente mora em Campinas, onde atua como Diretor Executivo para Negócios Internacionais na SociBusiness Internation Corp. Toda semana está no Inaugurando em Bauru falando sobre o mundo dos negócios.