SESI-SP lança em Bauru o Projeto Judô na Escola

Será lançado, oficialmente, no dia 14 de fevereiro, em Bauru, o Projeto Judô na Escola, parceria firmada entre SESI-SP e Instituto Kodokan do Brasil (IKB). A cerimônia acontece na Escola SESI Gerson Trevizani – Duda, no Horto Florestal, a partir das 14h. A ação faz parte do calendário comemorativo de aniversário de 50 anos do SESI Bauru. 

Aliás, o SESI Bauru abrange Bauru e outros 29 municípios da região. É uma referência nas áreas de educação e qualidade de vida – cultura, esporte, promoção à saúde e responsabilidade social. Os Centros Educacionais de Bauru, Agudos e Lençóis Paulista atendem nos ensinos fundamental e médio. No entanto, desde 2018, o SESI Bauru também é sede de duas equipes de rendimento no Estado: judô e vôlei feminino.

Antes do evento de lançamento, uma delegação japonesa visitará o SESI Bauru para participar e acompanhar os treinos dos atletas. Além disso, a ação também contempla um workshop gratuito, destinado a professores que trabalham com crianças de 5 a 12 anos. Será ministrado pelo professor Hirotaka Okada, do Japão. Durante a capacitação, ele falará sobre a metodologia de ensino japonesa. Aliás, o curso é gratuito e promovido pelo Instituto Kodan do Brasil. Mas em conjunto com a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) e a Federação Paulista de Judô (FPJ).

Sesi - projeto-judô - escolas
Clóvis Cavenaghi, diretor do Sesi, e o técnico Marcos Souza visitaram o Japão.

SESI-SP no Japão

À convite do Instituto, o diretor do SESI Bauru, Clóvis Cavenaghi Pereira, e o técnico Marcos Souza participaram de intercâmbios no Japão para conhecer a cultura do judô em seu país de origem. Marcos viajou primeiro, ficou um mês em terras nipônicas, entre setembro e outubro. No entanto, o foco do intercâmbio foi aprender a metodologia de aplicação do judô nas escolas e universidades. Além de academias de judô e alto rendimento. “Participei de aulas práticas e teóricas. E assumi a função de multiplicador, para que, quando voltasse ao Brasil, pudesse compartilhar com o maior número de professores e atletas (alunos)”, disse Marcos.

A ação faz parte de um programa do governo japonês chamado Sport for Tomorrow (Esporte para o Amanhã). O projeto consiste em receber, na Universidade de Tsukuba, no Japão, instrutores brasileiros de judô por um mês, realizando o treinamento Discovery Camp, Programa de Amigos do Amanhã – judô. Ao retornar ao Brasil, Marcos passou a fazer parte de um grupo de trabalho com membros da CBJ e o Instituto Kodokan do Brasil para desenvolver e implantar o Projeto Judô na Escola.

Sesi - projeto-judô - escolas
Equipe de judocas do Sesi-SP: treinamento com atletas japoneses.

Atletas de judô na seleção brasileira

Já o diretor Clóvis fez a visita em dezembro. “A viagem foi uma experiência muito gratificante. Tivemos contato com a diretora geral do esporte no Japão e outras autoridades. Conheci espaços, escolas e participei de treinos. O projeto é um acordo entre os governos brasileiro e japonês, com o objetivo de fazer um intercâmbio esportivo”, disse. Clóvis, que também é sensei, explicou que foi firmado um acordo de cooperação técnica para desenvolver o Projeto Judô na Escola em unidades do SESI-SP. No entanto, o projeto piloto será implantado em três espaços: Bauru, AE Carvalho (capital) e Cruzeiro.

Por outro lado, o técnico Marinho Esteves e os judocas Michael Marcelino e Renan Torres também viajaram ao Japão. Mas o objetivo da viagem, realizada entre 13 e 30 de janeiro, foi diferente. “O foco é o intercâmbio técnico-competitivo. A pré-temporada 2019 deles (Michael e Renan) foi com os melhores do mundo. A estratégia é por pontos no ranking internacional sênior e no mundial junior”, descreve Marinho. Integrando a Seleção Olímpica Brasileira, os judocas da indústria focaram o treinamento no Ciclo Olímpico Tokyo 2020 e Paris 2024. Michael e Renan fazem parte da Seleção Brasileira Junior de Judô 2019.